O que é fascite plantar?

Você anda com dores na sola do pé? Parece que tem uma pequena agulha entrando bem no meio do pé? Continuando nossa série de textos falando sobre lesões na corrida, hoje falaremos sobre a fascite plantar.

As lesões que se desenvolvem com a corrida não tem causa única, a não ser quando é uma entorse ou fratura, o restante vem por ‘overuse‘ ou excesso de treinamento, falta de adaptação ou falha no planejamento, falta de alongamento, desequilíbrio muscular, calçado e até alimentação inadequada, enfim, uma soma de coisas que vão fazer você se lesionar e o intuito aqui é levantar informações para que você minimize suas chances.

Em um estudo feito com corredores do estado de São Paulo em 2014, as lesões no pé e tornozelo apareceram em 4 e 9% respectivamente nos corredores e é válido citar que mesmo com uma incidência consideravelmente baixa em comparação com as lesões de joelho (27%) uma “dor” ou lesão mal tratada no pé irá interferir em toda a estrutura e consequentemente outras lesões podem acontecer.

Conforme descrito pelo professor Lopes em seu artigo de 2013, a fascite é representada por um processo degenerativo da fáscia plantar que causa dor sob a tuberosidade medial do calcâneo durante a descarga de peso do corpo. Imagine sentir dor toda vez que você coloca o pé no chão! Nos casos iniciais a dor é no início do treino e diminui na medida que o corpo esquenta, mas retoma após o término do treino. Em casos mais graves a dor pode limitar as atividades do cotidiano.

Dor-na-Sola-3Como eu evito isso? Existem algumas indicações e dentre elas é o uso de bandagens noturnas, imobilizando o pé em posição de dorso-flexão fazendo com que a sola do pé fique mais alongada durante a noite e ao iniciar o dia a dor seja menor. Para o tratamento pode ser indicado a crioterapia, uso de corticóides e o que acreditamos ser o mais adequado para os casos mais brandos, a liberação miofascial e alongamento, de duas a três vezes ao dia. Manter os músculos da panturrilha mais fortes e a articulação do tornozelo com boa mobilidade são indicações bem interessantes também.

Acreditamos que o melhor caminho é sempre o da prevenção, então antes de chegar ao ponto de ter que tratar esse tipo de lesão ou qualquer outro tipo, procure ter atitudes mais positivas em relação ao cuidado com seu corpo.

Correr é uma delícia, mas muitos deixam o fortalecimento de fora da rotina e não dá pra pensar em uma atividade de impacto como a corrida e não pensar em treinamento funcional bem orientado.

 

Bons treinos!

Emidio Peres
Personal e Idealizador do Núcleo Salutem
Formado em Educação Física, pós graduado em gestão de marketing, reabilitação cardíaca e pós graduando em reabilitação de lesões.

cropped-logotipo-nc3bacleo-salutem1.jpg

 

Deixe uma resposta