O que sustenta todas as nossas ações?

Por Maria Helena Bertoccelli

Vou falar do pilar de sustentação de todas as nossas ações, a Vontade!

A Vontade faz parte da nossa realidade interna assim como o sentimento, a imaginação, o pensamento, a inteligência e o amor.  Ela, em sua verdadeira essência pode explicar inúmeras conquistas humanas. Ela é a chave para liberdade humana e o poder pessoal.

Para realizar uma ação eficaz que provoque mudanças nas condições do mundo e em nós mesmos, construindo situações melhores, é necessário usar o poder da Vontade.

No entanto, a descoberta da Vontade, não basta, pois, se ela não for cultivada irá enfraquecer, empalidecer, se apagar ou somente ter brilhos intermitentes.  Ela poderá ser facilmente derrotada e dispersada pelas ideias e paixões da nossa vida cotidiana.  É necessário, portanto protegê-la, exercitá-la, treiná-la.

Para muitos isso pode parecer uma novidade ou até mesmo soar estranho, mas a Vontade pode sim ser desenvolvida, fortalecida através de práticas.  O princípio   deste treinamento é simples; assim como cada membro, cada músculo do nosso corpo se desenvolve com exercícios repetitivos a Vontade se fortalece quando “queremos”. Querer é o melhor exercício para fortalecer a Vontade.

Existem exercícios específicos para fortalecer um grupo de músculos, para desenvolver e fortalecer a Vontade também existem exercícios.

O psicólogo William James chamou tais exercícios de “inúteis”. Eles consistem em fazer algo pela única e simples razão que é difícil fazer, ou porque se prefere não fazer, assim quando chegar a hora da necessidade ou do perigo a Vontade não estará debilitada ou mal treinada.  James enfatiza, “o homem que se acostuma a fazer coisas não necessárias no dia a dia, estará sólido como uma torre, preparado para colocar sua Vontade em ação quando o desafio se impuser”. Por outro lado, quando nos falta a Vontade, o espaço psicológico que ela deveria ocupar é assumido pela angústia, depressão, ressentimento e confusão.

É necessário salientar que essa Vontade a que nos referimos não é a força de vontade, a vontade Vitoriana, sentimento ansioso do dever, que reprime uma parte de nós. Ao contrário a Vontade a que nos referimos não está contra nada, não se impõe, mas coordena, não força nada, simplesmente dirige…

Que tal junto com seus exercícios físicos, orientados pelo Educador Físico, dar início a exercícios para fortalecer a Vontade. Esse é meu desafio, e se precisarem de orientação contem comigo.

Até o mês que vem!

Deixe uma resposta